sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

SEQUÊNCIA DIDÁTICA: Respeito aos Valores Individuais


A sequência abordará o tema: Respeito aos Valores Individuais. Este foi escolhido ante a necessidade das turmas aprofundarem o tema. Contará com uma dinâmica contextualizada e lúdica, onde possibilita aos alunos uma reflexão pautada nos princípios de respeito mútuo.

Plano de Aula 1

Objetivos: Reconhecer a diversidade presente em sala e a importância da convivência pacífica frente às diferenças, visando à construção de uma postura de tolerância e respeito ao outro.

Conteúdos: Diferenças e Qualidades

Procedimentos metodológicos:
Oração
Apresentação da estagiária a turma
Acolhida: Dinâmica- “Qualidade"
Roda de conversa: Levantamento do conhecimento prévio: Comentário sobre a dinâmica focalizando: O que são qualidades? Temos as mesmas qualidades?
Atividades interdisciplinares propostas:
  1. Distribuir papel e lápis e pedir para que cada um retrate o colega, de modo a ser fidedigno quanto as suas características físicas (textura dos cabelos, altura, cor dos olhos, da pele...) e as psicológicas (alegre, entusiasmado, triste, conversador, etc.) 
  2. Recolher os papéis e redistribuir entre a turma de modo que cada tente descobrir o colega desenhado.
  3. Produção de um bilhete para um colega da sala, elogiando-o por seu modo de ser, enfatizando suas características.
  4. Confecção de uma árvore de qualidades positivas da sala.

Recursos didáticos: Lápis, sulfite, lápis de cor, caneta, etc.

Avaliação: Como critérios serão considerados os índices de envolvimento do aluno na atividade, seu empenho em participar das atividades de expressão oral e suas atitudes de reconhecimento da importância da diversidade em sala de aula através da ilustração do outro e da confecção da árvore.

Referências: Plano de aula “Respeito às diferenças”. Disponível em: http://eebdrottinho.blogspot.com/2008/09/plano-de-aula-respeito-s-diferenas.html  Acesso em 01.Nov.2010.

Schatzmann, Marilane. O caráter conta: trabalhando o pilar respeito. Disponível em: http://www.slideshare.net/Marilane/plano-de-aula-503777 Acesso em. 01. Nov.2010.


 Plano de Aula 2

Objetivos: Refletir sobre a importância do próximo em nossa vida.

Conteúdos: “próximo’

Procedimentos metodológicos:
Oração
Acolhida: Dinâmica: "Auxílio mútuo"
Roda de conversa: Levantamento do conhecimento prévio: Qual a importância do próximo para nós? Análise da dinâmica vivenciada.
Atividades interdisciplinares propostas:
  1. Dramatização de cena discriminátoria, falta de respeito no contexto social e escolar (a professora antes escolherá dois alunos e passará a cena em segredo dos demais colegas, no meio da aula eles encenam a briga, com xingamentos. Esta atividade lança um debate em torno das atitudes e valores no trato com o próximo);
  2. Conversa sobre as sensações sentidas durante a encenação dos colegas;
  3. Leitura de texto: RESPEITO AO PRÓXIMO E A PROPRIEDADE ALHEIA.
  4. Debate dos princípios apresentados no texto e na dramatização.
  5. Produção textual: Qual o papel do próximo na minha vida.


Recursos didáticos: Canetas hidrocor, folha de sulfite, lápis de cor, cola, tesoura, cartolina e fita adesiva para cartazes, etc.

Avaliação: A avaliação se constituirá em processo contínuo durante a realização de todas as atividades, contar-se-á com a participação nas discussões e individualmente nas atividades realizadas, bem como na compreensão dos conceitos abordados.

Referências: Wanessa, Karla. Diversidade com cor, som e sabor. Disponível em: WWW.karlawanessa.blogspot.com Acesso em 01. Nov. 2010.
Plano de aula “Respeito às diferenças”. Disponível em: http://eebdrottinho.blogspot.com/2008/09/plano-de-aula-respeito-s-diferenas.html  Acesso em 01.Nov.2010.

Schatzmann, Marilane. O caráter conta: trabalhando o pilar respeito. Disponível em: http://www.slideshare.net/Marilane/plano-de-aula-503777 Acesso em. 01. Nov.2010.

  
Plano de Aula 3

Objetivos: Respeitar os sentimentos dos colegas de sala e de outras pessoas de seu convívio.

Conteúdos: Sentimentos

Procedimentos metodológicos:
Oração
Acolhida: Dinâmica do Amor
Roda de conversa: Levantamento do conhecimento prévio: O que são sentimentos?  Quais os sentimentos que sentimos em situações como: Briga, festa, brincadeira, etc.
Atividades interdisciplinares propostas:
1.    Após contar o texto distribuir um recorte de coração (sulfite dobrado ao meio e cortado em forma de coração), revistas, cola e tesoura.
2.    Os alunos deverão procurar figuras de coisas que poderiam estar dentro do coração de cada um, fazer a colagem a apresentar a turma.
3.    Socialização das colagens e comentários.
  1. Depois cada um vai receber um coração menor e será instruído que dentro dele deverá escrever: O meu coração está cheio de...
5.    Socialização das coisas, separando as coisas boas, das coisas ruins.

Recursos didáticos: Revistas, cola, tesoura, sulfite, lápis,  

Avaliação: A avaliação se constituirá em processo contínuo durante as atividades correlacionado à realidade cotidiana da sala de aula e sua transformação no percurso da intervenção. Será considerando ponto forte da avaliação a autoavaliação do aluno, bem como o comportamento do educando em seu relacionamento com os colegas e professores.

Referências: Wanessa, Karla. PROJETO DIDÁTICO: A ÉTICA NO CONVÍVIO ESCOLAR. Disponível em www.karlawanessa.blogspot.com Acesso em 01. Nov.2010.

Plano de aula “Respeito às diferenças”. Disponível em: http://eebdrottinho.blogspot.com/2008/09/plano-de-aula-respeito-s-diferenas.html  Acesso em 01.Nov.2010.

Schatzmann, Marilane. O caráter conta: trabalhando o pilar respeito. Disponível em: http://www.slideshare.net/Marilane/plano-de-aula-503777 Acesso em. 01. Nov.2010.

ANEXOS

Dinâmica da “Qualidade"
Cada um anota em um pequeno pedaço de papel a qualidade que acha importante em uma pessoa. Em seguida todos colocam os papéis no chão, virados para baixo, ao centro da roda. Ao sinal, todos devem pegar um papel e em ordem devem apontar rapidamente a pessoa que tem esta qualidade, justificando.


Dinâmica: "Auxílio mútuo"
Material: Pirulito para cada participante.
Procedimento:
Todos em círculo, de pé. É dado um pirulito para cada participante, e os seguintes comandos: todos devem segurar o pirulito com a mão direita, com o braço estendido. Não pode ser dobrado, apenas levado para a direita ou esquerda, mas sem dobrá-lo. A mão esquerda fica livre. Primeiro solicita-se que desembrulhem o pirulito, já na posição correta (braço estendido, segurando o pirulito e de pé, em círculo). Para isso, pode-se utilizar a mão esquerda.
O mediador da dinâmica em seguida, dá a seguinte orientação: sem sair do lugar em que estão todos devem chupar o pirulito! Aguardar até que alguém tenha a iniciativa de imaginar como executar esta tarefa, que só há uma: oferecer o pirulito para a pessoa ao lado! Assim, automaticamente, os demais irão oferecer e todos poderão chupar o pirulito. Encerram-se a dinâmica, cada um pode sentar e continuar chupando, se quiser o pirulito que lhe foi oferecido. Abre-se a discussão que tem como fundamento maior dar abertura sobre a reflexão de quanto precisamos do outro para chegar a algum objetivo é ajudando o outro que seremos ajudados.


TEXTO: RESPEITO AO PRÓXIMO E A PROPRIEDADE ALHEIA
O MACACO PICHADOR.

                            Algo de estranho estava acontecendo na floresta. O João de barro acabou de construir sua casa. E ao acordar de manhã ele leva um susto! – o que é isso? Quem foi capaz de fazer uma maldade dessas? Chamou toda família para mostrar. A parede de fora de sua casa estava toda suja e rabiscada. Uma grande pichação!
                            As abelhas estavam trabalhando, visitando várias flores para produzir seu mel. Quando voltam para casa, elas não acreditaram no que viram. Sua colméia tinha sido jogada no chão. E alguém comeu todo seu estoque de mel e sua geléia. Quem será que está fazendo isso? Poxa vida! Na caverna do urso foram encontradas muitas cascas de bananas pelo chão. Alguém comeu as bananas e se esqueceu do lixo. Opa! Será que é uma pista? Qual animal gosta de comer bananas? É talvez, seja o um macaco.  Os animais então fizeram uma reunião e resolveram contratar um detetive para investigar o caso. O louva a deus. Ele propôs ficar vigiando a redondeza e pegar o infrator no pulo. Ao anoitecer o louva a deus viu um macaco despistando e se afastando do grupo que dormia. O louva a deus ficou de olho nele. Será que é esse macaco? Pensou.
                           O macaco então se aproximou do macaco vizinho, e sem que ninguém percebesse, vupt! Cortou o cipó. Único meio de transporte do colega que estava dormindo e ia trabalhar no outro dia bem cedo. Pouco tempo depois já estava juntando pedras para jogar no ninho do canarinho. E já ia jogar quando o detetive louva a deus chegou e deu uma bronca nele. - Não faça isso? O Sr canário trabalhou muito para construir esse ninho para proteger os ovinhos que chegaram e é lá que os filhotinhos vão crescer. Toda ação nossa casa carregando no bico o material necessário? E você, o que fez? Pichou a casa dele toda. As abelhas coitadas trabalham até de madrugada e como vão descansar? Alguém destruiu a casa delas. E não é só isso não? Quando amanhecer você pode observar que a tartaruga estará carregando sobre seu casco gravetos e madeiras em direção ao rio, pois alguém lançou pedras e destruiu a barragem que os animais usam para atravessar o rio.
                            O macaco escutava e olhava a tudo atento, pois tinha sido descoberto e temia ser castigado. O louva a deus prosseguiu: se uma pessoa destrói a casa do outro como poderá um dia ter uma? Se cortares o cipó do outro como poderá ter seu próprio transporte? Você acha justo roubar o alimento dos outros? Que trabalhou tanto para consegui–lo? Como você pode ser respeitado se não respeita os outros? Enquanto o louva a deus falava o macaco pulou apressado para um galho e começou a juntar e espremer morangos, fazendo uma espécie de tinta. Chateado o detetive entrou em sua casa e foi dormir. A conversa não tinha adiantado nada. Pois o macaco estava se preparando para pichar novamente.
Na manhã seguinte os animais tiveram uma surpresa. A tinta que o macaco estava fazendo a noite anterior era para pintar a casa do João de barro. A mesma que ele tinha pichado. E ajudou a reconstruir tudo que havia destruído. E quer saber a verdade? Ele sentiu mais prazer em ajudar do que estragar. Hoje a floresta está mais bonita. As casas estão ficando mais coloridas, pois o macaco criou novas cores amassando pétalas de flores. E já tem até um ateliê de arte e pintura.


Um comentário:

thais calisto disse...

ola amei os planos ,parabens e continue assim que DEUS te abençoe.