sexta-feira, 16 de agosto de 2013

MAIS EDUCAÇÃO: O CAMINHO LOUVÁVEL DE IMPLEMENTAÇÃO NA ESCOLA 15 DE NOVEMBRO.

ANDRADE, Veruscka Francisca Teixeira de. Graduada em Pedagogia. Pós-graduada em Gestão da Educação. E-mail:
verusckateixeira@hotmail.com

RESUMO: O desígnio do Programa Mais Educação, por meio da gestão intersetorial focada na realidade local, tem como solução da problemática da qualidade de ensino no país o aumento do tempo de construção de conhecimentos pelos alunos. E neste ínterim, se expressa com clareza à amplitude conceitual da propositura em estimular parcerias no interior da esfera pública e entre os setores público e privado. Neste contexto, o presente artigo pretende propor um espaço de interlocução entre as discussões em torno do Programa Mais Educação e a implantação do mesmo na Escola 15 de Novembro, bem como, as oficinas de Artes, Letramento e Matemática vivenciada com sucesso, que possibilitaram um melhoramento no rendimento escolar de nossos alunos, graças à utilização sábia de espaços escolares como pátio, cozinha e do extraescolar como biblioteca municipal.

Palavras chaves: Escola 15 de Novembro; Educação Integral; Mais Educação.

                        A Educação Integral nas palavras de Anísio Teixeira é o “crescimento orgânico, humano”, associado às múltiplas dimensões do desenvolvimento, e nesta perspectiva o presente artigo tem por objetivo abordar a temática da educação integral, como estratégia de política pública, apresentada através do Programa Mais Educação na Escola Municipal 15 de Novembro, no município de Catende. O interesse em perscrutar os caminhos percorridos pelo Programa Mais Educação a fim de validar a proposta de Educação integral referenciada na legislação brasileira, surge em meio à premissa em promover a qualidade social da escola, expandindo o tempo, os espaços e os agentes envolvidos na Educação Básica.
                            Em 2007 o governo federal instituiu o Programa Mais Educação através da Portaria Interministerial n.º 17 uma ação entre as políticas públicas educacionais e sociais. O Programa centra-se no objetivo de diminuir as desigualdades educacionais por meio da jornada escolar, assim a educação integral, associada ao processo de escolarização, pressupõe a aprendizagem conectada à vida e ao universo de interesse dos estudantes, este indicativo de encontro cultural local vinculado à aprendizagem fomentaram os seguintes macrocampos:
ü  Letramento;
ü  Matemática;
ü  Acompanhamento Pedagógico;
ü  Meio Ambiente;
ü  Esporte e Lazer;
ü  Direitos Humanos em Educação;
ü  Cultura e Artes;
ü  Cultura Digital;
ü  Promoção da Saúde;
ü  Educomunicação;
ü  Investigação no Campo das Ciências da Natureza;
ü  Educação Econômica.

                           Contudo, essa busca de laços com segmentos sociais com intuito de superar os muros escolares e fomentar a qualidade da educação tem apresentado inúmeras problemáticas de implantação ou efetivação dentro das escolas e não foi diferente com a nossa. Entretanto, a pesquisa realizada por nossa equipe pedagógica e a coordenação da Mais Educação de abordagem multidisciplinar e multimetodológica de investigação dos problemas de implantação do programa em escolas amigas foi essencial para o oferecimento de um conjunto de questões que foram importantes do ponto de vista prático e teórico. Dentre os problemas detectados na nossa comunidade escolar, destacam-se com maior ímpeto a falta de uma infraestrutura adequada para receber alunos em tempo integral e as incursões pedagógicas de carência de pessoal qualificado para desenvolver as oficinas.
                            Porém, em nossa escola o fio condutor do Programa residiu e reside nas redes de aprendizagem conectando por uma dinâmica instituidora de relações culturais. Este processo implica em restituir e transcender a condição de ambientes e aprendizagem procurando valorizar as iniciativas educacionais extraescolares, que mesmo diante dos problemas apresentados, nos permitiu sistematizar possibilidades de soluções aplicadas com sucesso.  Portanto, em consonância com as diretrizes do programa, ampliamos as experiências educativas com práticas realizadas além do horário escolar sincronizadas com o currículo e o projeto político pedagógico de nossa escola, a fim que os espaços de interseção tivessem condições reais de trocas de os conhecimentos.
                           Assim, no contexto em que se preconiza a Educação Integral do Programa Mais educação o espaço físico da escola não é determinante para a oferta de Educação Integral, em seu bojo a identificação de espaços potenciais não restritos a escola são caminhos além de saberes institucionalizados, e foi exatamente neste indicativo que nos pautamos e firmamos, parcerias entre algumas esferas públicas para garantir os interesses educacionais coletivos e de qualidade das ações educativas, organizadas com foco na realidade de cada turma. Nesta perspectiva foram passos de nossa escola para solucionar alguns problemas:
1.    Oferecer aos monitores do Mais
Educação capacitações em conjunto com a equipe docente da escola, para um diálogo entre as partes formadoras;
2.    Oferecer oficinas de Artes (pintura e teatro) dentro do próprio ambiente escolar;
3.    Oferecer oficinas de Matemática com jogos dentro e fora da Escola;
4.    Firmar parcerias com a:
·         Biblioteca municipal para realização de rodas de leituras e debates;
Inicialização digital por meio de computadores disponível para pesquisa na biblioteca;
·         Posto de Saúde da Família do bairro com oferecimento de palestras de promoção de saúde bucal, etc.
                            Em suma, no sentido de romper com a lineiralidade de aprendizagem a utilização de ferramentas variadas tornaram-se imprescindíveis à Educação e com a verba destinada ao programa a nossa escola adquiriu materiais lúdicos: tais como televisão, jogos, DVD, aparelho de som, computadores, etc. No momento atual o único computador em uso com internet disponível na escola é utilizado pela coordenadora e Monitores na preparação das oficinas, mas em breve disponibilizaremos de um laboratório próprio dentro do ambiente escolar. Em função dessas demandas tecnológicas de comunicação e informação do trabalho educativo no Programa Mais Educação, tercemos elogios à sua dinâmica estrutural pedagógica, pois culminam na apropriação de mecanismos comunicativos e cognitivos enquanto mediações culturais como propulsora da transformação da articulação curricular multicultural.

Referências
Brasil. Programa Mais Educação. Passo a passo. Ministério da Educação/ Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade Diretoria de Educação Integral, Direitos Humanos e Cidadania.

_________. O Plano de Desenvolvimento da Educação: analise do Projeto  do MEC. Educação e Sociedade, Campinas, vol. 28, n100- Especial, p. 1231- 1255, out. 2007. Disponível em http://www.cedes.unicamp.br


_________. PDE- Plano de Desenvolvimento da Educação: analise crítica da política do MEC. Campinas São Paulo: Autores Associados, 2009.

Nenhum comentário: