sexta-feira, 8 de maio de 2009

PROCESSO EDUCATIVO NO CONTEXTO HISTÓRICO


                                                    Processo Educativo no Contexto Histórico.

INTRODUÇÃO Este trabalho trata da temática Processo Educativo no Contexto Histórico, o assunto é abordado neste trabalho por meio de uma linha do tempo, onde é destacado os períodos da Educação no mundo e no Brasil, nesta linha também encontra-se os principais pontos que caracterizam esses momentos históricos. No término encontra-se um texto criticamente elaborado sobre o contexto atual da Educação ressaltando neste a importância de se conhecer toda evolução da educação para se comprender a conjuntura educacional de hoje, bem como estar arraigada nossa educação.  

LINHA DO TEMPO DA EDUCAÇÃO

Educação Primitiva
Informal; Circunscrita; Espontânia; Dava-se pela imitação dos gestos dos adultos nas atividades diárias, cerimônias e rituais.  
Educação Oriental
Surgimento da escrita; Formação de cidades e Estados; Educação tradicionalista (domínio da Língua e Literatura); Finalidade de reprodução e manuntenção da cultura.
Educação Grega
Preparação de um bom cidadão; Tinha o homem como ser racional; Educação integral ( intelectual, física e técnica); Liberdade política (sob a Lei e pela Lei); Pautada na Filosofia, Arte e na Racionalidade.  
Educação Romana
Educação decorre de direitos e deveres; Finalidade era a formação do caráter moral do guerreiro; Sendo elitista e dominadora; Tinha mentalidade prática.  
Educação Medieval Século IX
A igreja controlava e mantinha a educação; Objetivava a formação do homem de fé; Cuidava primeiramente da salvação da alma e da vida eterna; Sua prática pedagogica era fundamentada na visão teocêntrica; Criação da Companhia de Jesus.  
Educação no Renascimento Século XV e XVI Educar segundo as novas concepções de homem tornar-se uma exigência; Rejeitava a autoridade dogmática, porém ainda era hierarquizada; Privilegiava as altas camadas da sociedade (nobres e clérigos); Valorizava as produções racionais e científicas.  
Educação Burguesa Pautada no princípio de liberdade e autonomia (Jacques Rosseu); Separação entre Igreja e Estado; Começa-se a pensar em um sistema público de educação.  
DESCOBRIMENTO DO BRASIL 1500
  Educação Jesuítica 1549/1759 · Dedicam-se à propagação da fé católica (catequese); · Criam-se escolas para ler e escrever, mas também de práticas agrícolas, marcenarias e ferrarias; · Criam-se as missões; · Instrumento de formação da elite colonial.
Educação Pombalina 1760/1807
A escola servia aos interesses do Estado; Formava o nobre comerciante; O sistema educativo dos jesuíticos foi desmantelado; A educação estagnada Professores leigos e mal preparados.
Educação Joanina 1808/1821
Atuação da educação fragmentada; Centrada na desigualdade; Escolas reservadas para os filhos dos que detinham o poder econômico; Ensino Superior ( básico profissionalizante); Ensino Segundário (aulas régias); Ensino Primário (enfoque na leitura e escrita).
Educação no Império 1822/1889
· Aspira-se um Sistema Nacional de Ensino distribuido no território nacional; · Instrução primária aos filhos dos livres, · Aulas de leitura, escrita e cálculo; · Ensino segundário destinado ao sexo masculino; · Predomina-se a Literatura; · Com a abolição da escravatura o Império configurou crises políticas.  
Educação na República 1889/1929
· A educação elitista entra em crise · O ensino é tradicional e autoritário sob influência do positivismo; · Sistema dualista; · Reforma de Benjamim Constant ( princípios orientados na liberdade, laicidade do ensino); · Acontecem várias reformas : Cadeira de Moral e Cívica, movimentos de ordem social e político.
Educação do Século XX 1930/1963
· Continua-se sem um Sistema Nacional de Educação; · Lança-se o Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova ü Educação ativa, integral e prática; ü Supervaloriza a criança; ü Ensino individualizado; ü Exercícios de autonomia; ü Pensamento Liberal Democrático. O governo em 1934 torna-se responsável por traçar diretrizes a educação; Educação popular é alvo de discurssões com Paulo Freire na década de 60. Educação no Regime Militar 1964/1985
· Perseguição a educadores em função de seus pensamentos ideológicos; · Caráter antidemocrático; · Expansão da Universidades; · Criação do vestibular classificatório; · Criação do Mobral ( Movimento Brasileiro de Alfabetização); · É instituida a Lei 5292/71 ( LDB) com cunho profissionalizante à formação; · É fixado as bases do ensino de 1º e 2º grau; · Concepção tecnicista de educação ( teoria da capital humano). Redemocratização da Educação anos 80
Promulgação da Constituição de 1988; Educação como direitos de todos, dever do Estado e família; Lutas pela Diretas Já em 1884; Filósofos e Pedagogos questionam o quadro de desorganização da escola; Escola excludente; Altos níveis de analfabetismo, evasão e repetência; Início da Pedagogia Histórica-Crítica; Escolas como veículos da democratização.
Educação do Terceiro Milênio
· Educação como recurso para enfrentar a nova estruturação de mundo ( globalização); · Depende da continuidade e do processo econômico e social; · Indivíduos competitivos; · Acesso a informação em tempo real.  
A CONSTRUÇÃO DA EDUCAÇÃO AO LONGO DOS SÉCULOS

Compreender a complexidade da cancha educacional de hoje, exige uma visão panorâmica da origem e evolução das transformações educacionais e isso só é possível através da analise da História da Educação. Sendo a educação um processo não acabado, logo ao longo da história humana está em construção, surgi inerente à existência do homem e sua organização social em seus mecanismos mais remotos na era primitiva e vai se desenvolvendo e auferindo forma com o surgimento da escrita para a reprodução cultural das civilizações orientais. Em decorrência das necessidades dos homens em suas sociedades, a educação vestiu-se de um caráter de cidadania racional na Grécia e em Roma focalizou a formação do guerreiro, com a centralização da educação pela Igreja a escola destina-se a fornecer conhecimentos divinos centrados na fé em Deus, esse modelo desenvolvido pelos jesuítas fundamentou a procedência da educação e da escola em nosso país, não consentindo este padrão com os interesses do Estado é excluído e dá-se inicio ao longo e árduo trajeto pelos séculos onde a educação brasileira assume múltiplas faces deferindo os objetivos a ela definidos. Essas transformações originaram a educação de hoje que comporta a chamada Era do Conhecimento Tecnológico proeminente da globalização mundial, a educação ministra-se em um contexto histórico, social dos processos econômicos, tecnológicos e científicos, diante disso a escola como espaço de interações de aprendizagens jamais pode reassumir-se como estabelecimento destinado somente ao cultivo dos conhecimentos da língua e técnicas profissionalizantes, ante a correlação da globalização e da educação, esta última comporta o papel de promover o desenvolvimento das capacidades físicas, intelectual e moral dos indivíduos em suas especificidades. Isso denota a formação de um sujeito crítico, consciente e atuante de sua cidadania, que tenha capacidade de se impor e prevalecer ao capitalismo, perpassando pela ação de solucionar problemáticas diversas, oriundas do sistema capitalista e para isso a escola de hoje é ambiente propício de modificações de comportamento e aprimoramento de aptidões naturais. Esses novos paradigmas possibilitaram à inserção de uma atmosfera de discussões dos segmentos sociais adequando-se a modernidade, mobilizando o saber interdisciplinar de reflexões das aulas dinamizadas e centradas nas atividades dos educandos conferindo-os maior autonomia na aprendizagem. O atual sistema de ensino harmoniza em sua política educacional algumas marcas da História da Educação, hoje nela está embutida preceitos e posicionamentos de todos os períodos da história educacional, destaca-se hoje a supremacia de um sujeito cidadão, conhecedor de seus direitos e deveres assim como enfatizado na Grécia e Roma, pauta-se sempre nas novas exigências provinientes das produções racionais cientificas, como no período do Renascimento. Alça-se a bandeira de uma escola laica e gratuita a todos para o pleno exercício da democracia, mesmo que as vezes essa luta seja alvo de forças superiores, questiona-se e investiga-se melhorias para as condições organizacionais das escolas que sofrem com a evasão e repetência, hoje sem dúvida prepara-se o verdadeiro “guerreiro” não da luta corporal mas aquele que deve vencer e dominar as massas da evolução de sua própria espécie.

CONCLUSÃO Para se compreender a complexidade da evolução humana é imprescindível o estudo da História da Educação intencionando a criação de condições satisfatórias de aprendizagem, consoante a isso o curso de nossa investigação esteve pautado na reflexão exigida pelas profundas mudanças sucedidas na estruturação da escola no mundo e no Brasil. Tendo a Idade Média, lançado as raizes da escola Moderna onde os ambientes socioculturais pressionaram a escola a se modificar em métodos e conteúdos, visando uma prosposta pedagógica voltada a suprir as concepções que denotavam o contexto histórico das quais estavam inseridas. A disposição de várias correntes pedagogicas revolucionaram o ensino do século XX, gerando o nosso atual sistema de ensino-aprendizagem.

REFERÊNCIAS Fundamentos sócio-cultural-político-econômico do processo educativo/ João Vicente Hadich; José Roberto Garcia; Adriana de Fátima Ferreira; Okçana Batini; Adriana Regina de Jesus dos Santos; Fernando Barroso Zanluch. Londrina: Editora Unopar.2008.

Alves, Valvino de Sousa, Educação Primitiva. Disponível em www.artigos.com/artigo/educacao/historia-da-educacao-310/artigo/. Acesso em 03 mai 2008. Amaral, Ana Lúcia. Perspectiva para a Didatica no Contexto Atual Poltico Pedagógico. Disponível em www.educacaoonlaine.pro.br/perspectiva_para_didatica.asp?f_id_artigo=310. Acesso em 11 mai 2008.

Nenhum comentário: